10 ESTILOS PARA DIVAR COM TRANÇAS: conheça um pouco da história das tranças



Resolvi escrever sobre tranças. Elas são um penteado que amo. Já usei por mais de 8 anos e acho bonito, simbólico e prático. Mas, preciso falar que este post é para além do episódio racista que envolveu este penteado nesta semana. Porque este espaço é acima de tudo o espaço de uma mulher negra que quer falar com outra mulheres negras, portanto:

BRANCO, isso não é sobre você! É sobre a nossa história e a nossa beleza trançada! Apenas isso! 

O cabelo foi construído culturalmente, especialmente para as mulheres, como uma forma de comunicação e expressão muito importante. Para nós, ocidentalizadas, é até difícil entender que um penteado possa conter tantos elementos culturais, que tenha uma origem tão antiga e sobreviva até hoje como uma importante forma de manifestação de uma cultura. Ou seja, a afirmação de que a trança fica ótimo "para quem tem cabelo ruim" além de racista, demonstra que essa pessoa precisa estudar história!

Para se ter uma ideia o quão antiga é a prática de trançar cabelos, temos esculturas  com trancinhas  que datam do século V a.C. Esta escultura abaixo é da antiga é civilização Nok da Nigéria. Uma civilização que dominava a metalurgia e que pode ter influenciado todas as outras civilizações que usaram tranças, como os índios americanos.


Há indícios também de tranças em estátuas, como a de Vênus de Brassempouy (imagem abaixo) e a Vênus de Willendorf, datando de cerca de 22 mil anos antes de Cristo.


No Egito Antigo, temos a imagem de uma Cleópatra cheia de tranças. Indícios históricos mostram que este penteado era realmente seu preferido, pois demonstrava poder.

Na Idade Moderna, vemos uma grande variedade de estilos de tranças, especialmente nos países africanos, que vão desde as curvas complexas e espirais. Inclusive algumas baseadas em estudos geométricos! Com a escravidão, a trança atravessou o continente e sobreviveu na cabeça de mulheres e homens negros.

Elas apareceram como uma forma de resistência - black power, as tranças e os dreadlocks - no movimento pelos direitos civis na década de 1970 nos EUA. No movimento Hip-Hop elas também são fortemente difundidas e na década de 1990 elas retomaram força total em diversos grupos, inclusive no Brasil.

Acima de toda história coletiva, quando pensamos em cabelo trançados, lembramos de um momento de proximidade e carinho entre nós mulheres negras. 

Ou seja, temos muita história para contar e para nos inspirar. Temos muita coisa boa para nos orgulhar sobre as tranças.

Neste post, aproveito para homenagear algumas lindas amigas que usam, resistem e divam trançadas em 10 estilos diferentes:
  1. NATURAL
  2. LOIRA
  3. COLORIDA
  4. GRISALHA
  5. RUIVA
  6. SIDECUT
  7. CURTA
  8. COM ACESSÓRIOS
  9. COM TURBANTES
  10. ESTILO NAGÔ
Inspirem-se!
Por que trança é para quem tem cabelo bom!


1. NATURAL (uso de fibra sintética de cor próxima ao cabelo natural)

 Laura Astrolábio

 Mariana Santos



Djamila Ribeiro

Fayola Santos (trançadeira do Pérola Africana)

2. LOIRA (uso de fibra sintética totalmente loira ou misturada com cores escuras)


Daniele da Mata, muito ousada: colocou uma cor de cada lado! Ela é proprietária e idealizadora do espaço Damata Makeup

Bey, sendo Bey.

Euzinha, começando a usar fios loiros

3. COLORIDA (com fibras de cores nada tradicionais)



Karol Conka sendo Karol Conka


 Magá Moura 
 
Tássia Reis - Cantora

Taísa Ferreira

4. GRISALHA


5. RUIVA


  

6. SIDECUT (corte apenas do lado)



Ma Castor

7. CURTA



  
8. COM ACESSÓRIOS  

 Coroa de flores!

 Penteado com o Max Cordão da Xongani. Amo Muito!

Anéis envolvendo as tranças

Também dá para usar Hair Band
 (A partir de novembro, a venda na Central das Divas!)

9. COM TURBANTES (combinação perfeita)
 
A maravilhosa da Bea Caixeta. Administradora da página Meu Turbante, Minha Coroa

Eu e meu amor por tubantes. Com trança ou sem trança...


10. ESTILO NAGÔ (inspiração na tradição Nagô. São presas ao couro cabeludo)




Inspiração, a gente tem sobrando!
Arrasem por aí!

Referência: http://trancanago.blogspot.de/2010/02/origem-tranca-nago.html

P.S.: Se você quiser reivindicar direitos autorais nas fotos, entre em contato: centraldasdivas@gmail.com

14 comentários: