VOCÊ SABE PORQUE 21 DE MARÇO É O DIA INTERNACIONAL DE LUTA PELA ELIMINAÇÃO DA DISCRIMINAÇÃO RACIAL?


O dia 21 de março tem sido lembrado mundialmente como o dia internacional de combate a discriminação racial. 

VOCÊ SABE PORQUE 21 DE MARÇO É O DIA INTERNACIONAL DE LUTA PELA ELIMINAÇÃO DA DISCRIMINAÇÃO RACIAL?

A história que marcou esta data é tão triste que precisa ser lembrada. Há 57 anos, na África do Sul foram 69 mortos. 180 feridos. Todos negros.


No dia 21 de Março de 1960, ocorreu na cidade de Sharpeville, na província de Gauteng, na África do Sul, um protesto, realizado durante o Congresso Pan-Africano (PAC) contra a Lei do Passe

O passe ou caderneta existia há muito tempo e era um dos principais elementos do apartheid. Antes, o passe controlava os escravos. Com a instauração do apartheid ele servia como instrumento de controle do governo contra os negros. O documento era de porte obrigatório e continha foto, dados pessoais, números e registros profissionais e ficha criminal. 

Durante o Congresso Pan-Africanista (PAC), uma dissidência do CNA fundada no final de 1959, liderada por Robert Subukwe, se antecipou e organizou um protesto pacífico para o dia 21 de março. A ideia era uma manifestação não-violenta em que os africanos deveriam deixar os passes em casa e comparecer às delegacias de polícia para se entregarem e serem presos. Assim, provocariam uma pane no sistema político e econômico, uma vez que as prisões estariam lotadas e faltaria mão de obra.

Dia 21/03/1960 houve um comparecimento em massa ao protesto. Em Sharpeville, próximo à Johanesburgo, uma multidão de 5 a 7 mil pessoas se reuniu em frente ao distrito policial. A polícia, acoada, abriu fogo contra os negros que protestavam. Foram quase 70 mortos, além de 180 feridos. Nenhum policial foi condenado ou preso.


Logo após o massacre, os conflitos se acirraram no país. O governo baniu qualquer aglomeração pública em toda a África do Sul. Logo depois, os partidos de resistência negra, CNA e o PAC foram banidos e um estado de emergência foi declarado. Nelson Mandela abandonou a política de não-violência que vinha adotando contra o regime do apartheid, sendo preso em 12 de junho de 1964.

Podemos dizer que o Massacre de Sharpeville foi um marco na história do apartheid na África do Sul. e obrigou a comunidade internacional a se posicionar sobre as condições dos negros no país.

Para nós, negros, é mais um dia de combate diante das violências que a discriminação racial promove no mundo. Mais um dia para lembrarmos de irmãos e irmãs assassinados pelo racismo todos os dias. Mais um dia para a comunidade negra lutar pelo direito à vida!


VIDAS NEGRAS IMPORTAM!
BLACK LIVES MATTER!
NÓS QUEREMOS VIVER!

BAIANA, O NOVO CLIPE DE EMICIDA: SUSPIRE!


Neste mês de março, o rapper Emicida lançou um clipe novo que ficou por mais de 24 horas entre os mais exibidos do Youtube Brasil. O vídeo oficial de "Baiana" é encenado pelas atrizes Ayana Amorim e Dandhy Braz e foi gravado durante o último carnaval de Salvador. 

O vídeo é o oitavo realizado a partir de músicas do álbum lançado em 2015 com 14 faixas “Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa…” (“Passarinhos”, “Mufete”, “Boa Esperança”, “Mãe”, “Madagascar”, “Chapa” e “Mandume”). No clipe vemos pontos turísticos da capital baiana, como o Pelourinho e o Farol da Barra. Para quem é baiano, o vídeo já vale a pena porque é uma homenagem linda à capital da Bahia. Mas, o destaque fica por conta do enredo. Veja só a fofura: 


A direção do vídeo é de Emicida e Moysah. Segundo o rapper, "Cada pessoa tem suas interpretações das músicas que gosta, 'Baiana' em geral sugere um romance, mas nós quisemos nos aventurar por outras formas de amor, uma mais plural talvez. A partir daquele beijinho no canto da boca surgem mil memórias e sonhos, possibilidades infinitas, bonitas e puras, fomos nesse caminho e fiquei bem feliz com a doçura do resultado final".

Para nós, mulheres, ver uma música com uma letra cheia de dengo e romance, "A cabeça ficou louca, Só com aquele beijinho no canto da boca, Louca, louca, louca, louca..." mostrar a paixão de duas mulheres negras de forma tão natural é de suspirar! É dar voz para outras formas de amor... 

Veja as fotos que a diva Helen Salomão realizou dos bastidores.



VIOLA DAVIS VENCE OSCAR 2017 - VEJA SEU DISCURSO LEGENDADO!

A  89ª edição do Oscar aconteceu no último dia 26/02. Por aqui a gente já torcia para a Viola Davis ganhar o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante





A maravilhosa fez história ganhando o prêmio. Ganhando o Oscar por Um Limite Entre Nós, de Denzel Washington, ela faz parte de um grupo de atrizes que ganhou a Tríplice Coroa de Atuação (em inglês, Triple Crown of Acting), termo usado para descrever atores que foram premiados nos três diferentes veículos: cinema, teatro e TV, respectivamente com o Oscar, Tony e Emmy. ELA É A PRIMEIRA NEGRA A FAZER PARTE DESTA LISTA!

Na noite do Oscar 2017, Viola fez mais um discurso cheio de emoção.

Você pode ver o discurso traduzido de Viola Davis no Oscar 2017 aqui:


Viola Davis ganhou, em 2015, o Emmy de Melhor Atriz em Série de Drama por seu trabalho em How to Get Away with Murder e em 2001 e 2010 seus dois prêmios Tony.  O primeiro em 2001 por seu trabalho em King Hedley II e depois em 2010 por sua atuação na versão da Broadway de Um Limite Entre Nós (Fences).




Sobre o filme Um Limite Entre Nós (Fences)

O filme retrata a vida de Troy Maxson (Denzel Washington) e os conflitos que permeiam suas relações sociais e familiares. Viola Davis interpreta Rose, sua esposa. Troy  ganha a vida como catador de lixo, em uma América hostil aos negros.Ou seja, filme repleto de questões raciais! Imperdível mesmo!
Estreia no Brasil no dia 02 de março.

Dá para matar a saudade enquanto a 4ª temporada de How to get away with murder não estreia!


Taís Araújo e Lázaro Ramos na capa da Revista Veja: Representatividade para quem?

A Veja, a revista de maior circulação nacional divulgou no dia 23/02 sua capa da edição que será distribuída na próxima semana. É uma foto do casal Lázaro Ramos e Taís Araújo. A capa é de crescer os olhos e aquecer o coração, com uma legenda que deixa qualquer preta ou preto no Brasil cheio de orgulho:


Para as negras e negros do Brasil que há muito tempo batalham por representatividade, para ver referências positivas do seu povo, esta capa tem cheiro de vitória. Nós nos sentimos imbatíveis sim! Mas, chegando mais perto o cheiro é de podre, como tudo que vem da Revista Veja. É tanta coisa horrível que a gente nem sabe por onde começa a ter raiva!

Vamos começar pelo título e subtítulo: 

Taís Araújo e Lázaro Ramos: o casal mais poderoso do showbiz
 E ainda simbolizam a vitória do talento sobre a barreira racial"

A direita no Brasil, que tem suas ideias tão bem representadas nesta revista já não pode mais negar os danos causados pelo racismo aos pretos no Brasil. Dados científicos mostram que somos os mais atingidos pela violência e pobreza. No mesmo dia em que esta capa é divulgada, também são publicizados os dados do IBGE que mostram que a crise econômica e o desemprego atingem mais pretos e em especial as mulheres. A herança da escravidão não pode mais ser negada. Ela é comprovada por dados científicos e voz do povo preto não pode mais ser calada. Temos feito muito barulho! Para além disso, hoje temos acesso a instrumentos de comunicação que ajuda a acoar nossa voz: blogs, vídeos, redes sociais, mídias independentes. O que faz então a revista Veja? Reconhece que há uma barreira racial, mas ao mesmo tempo mostra um casal que simboliza que é possível vencer a barreira racial se você tiver talento! Ou seja: esta capa é um brinde à meritocracia. 

A Veja tenta transformar um exemplo a ser seguido alguém que teve melhores oportunidades do que a maioria da população. Transformando "melhores oportunidades" em uma corrida por "quem tem mais talento" ou "trabalha mais" para vencer as barreiras do racismo. Taís Araújo, por exemplo, estudou em boas escolas, teve oportunidades diferentes da maioria dos pretos e pretas brasileiros, como ela mesmo já relatou. Sabemos que também enfrentou a barreira do racismo - porque ele não escolhe suas vítimas - mas, teve muitos outros instrumentos para enfrentá-lo. 

Se depois disso, você ainda achar que vale a pena ler a revista - o que eu não indico - você pode ver uma parte da reportagem de capa na página da Veja. No subtítulo, mais uma pérola: 

"Par simboliza um ideal de país em que qualquer pessoa pode vencer pelo trabalho e pelo talento."

Vejam só: é tudo uma questão de trabalho e talento. Essa frase simboliza tudo o que o povo preto foi ensinado neste país: "se você não vence, é apenas uma fata de esforço e talento seu". A reportagem segue o mesmo tom:



"Mas, o fato é que eles atestam quanto o país mudou nas últimas décadas: a TV e a propaganda hoje reproduzem muito mais a diversidade brasileira. Para o público em geral, eles acenam com uma espécie de seguro contra a desesperança. Como bem definiu o ensaísta Eduardo Giannetti, a ideia de que o Brasil é uma democracia racial não se sustenta na realidade crua, mas é salutar que essa utopia seja perseguida como um ideal de país. O sucesso de Lázaro e Taís nos faz vislumbrar um Brasil de que se orgulhar: um lugar onde pessoas de qualquer classe ou cor de pele possam prosperar pelo talento e trabalho."

Ou seja, a revista Veja usa como exemplo UM HOMEM E UMA MULHER NEGROS para dizer que os outros dezenas de milhares que estão sendo assassinados pela polícia ou pelo tráfico, que engrossam as fileiras de desempregados, não tiveram talento ou não trabalharam o suficiente para superarem a barreira do racismo. 

Esta revista usa um casal que hoje é símbolo de resistência e representatividade para levantar a bandeira de algo tão nocivo e destruidor para nós como a meritocracia. Acreditar que as poucas pretas e pretos que conseguem ultrapassar a discriminação racial são exemplo de que esta barreira transponível para todos é uma ilusão que só serve àqueles que não precisam se preocupar com ela e que se beneficiam dela.


Se depois de tanta sujeira você ainda não tem certeza de que nem o talento e o trabalho são capazes de superar o racismo, entre na page do Facebook da Revista Veja e leia a chuva de cometários racistas como estes:




Aos irmãos, Lázaro Ramos e Taís Araújo, meu abraço. Todo meu respeito. Quem os acompanha sabe o trabalho de vocês para que seu sucesso não alimente o discurso meritocrático. Se o interesse desta revista é causar confusão entre nós pretas e pretos, saibam que nossos olhos estão abertos.

Essa capa é um desrespeito a artistas tão maravilhosos. Mas, é um desrespeito especialmente a todas às pretas e pretos neste país que trabalharam diuturnamente para ouvirem que apenas com talento, eles podem superar a "barreira racial". É um desrespeito à ancestralidade que foi arrancada do continente africano e que, por esta lógica, não teve talento para vencer.

Revista Veja, vocês não me surpreendem. Nada que venha de vocês representa a luta do povo preto deste país. 

MULHERES PRETAS E CABELO CINZA: 25 fotos para você se inspirar

Quanto mais as pretas se apropriam da sua beleza, mais elas tem ousado no visual. Cada dia é mais comum pretas com seus cabelos lindos para o alto: loiras, azuis, verdes, rosa... A bola da vez são os cabelos cinza!

Esse look é conhecido mundialmente como granny hair e faz o maior sucesso entre as pretas blogueiras e fashionistas mundo afora.  Aqui no Brasil, as irmãs Irlaine e a Marcelly Tavares têm arrasado com seus cabelos cinza por aí. No canal delas, têm vídeos sobre suas lace wigs (perucas). Visite o canal delas porque vale a pena! Eu também já investi neste visual - tenho algumas perucas neste tom e digo É MUITO CLOSE!.

É um look super democrático porque combina com todos os tons de pele. Uma boa maquiagem evita que nossa pele fique opaca, dando o contraste necessário. Este look pode ser produzido no salão de beleza, com a descoloração dos fios, com braid box, lace wigs ou do jeito mais lindo: o natural! Quer coisa mais maravilhosa do que ver seus fios brancos crescendo e se sentir poderosa ainda assim?

Acha lindo mas, ainda não tem coragem? Olha só esta galeria de fotos e se inspira!

























 

 Lace wig disponível neste link






 Lace wig disponível neste link 

 Lace wig disponível neste link 


 Lace wig disponível neste link


 Lace wig disponível neste link







 
Lace wig disponível neste link 
 
 Lace wig disponível neste link 

  Lace wig disponível neste link 











12 DIVAS NEGRAS E SEUS LOOKS NO GRAMMY 2017

A noite de premiação do Grammy 2017 foi da Beyoncé. Apesar de não ter levado o prêmio de álbum do ano, ela levou para casa duas estatuetas, de melhor álbum urbano contemporâneo, por "Lemonade", e videoclipe, por "Formation". Isso sem falar na performance maravilinda que está disponível neste link.

Mas, além da Beyoncé teve mais close de mulher preta no Grammy 2017.

Separamos alguns looks das pretas na noite de premiação do Grammy 2007 pra gente admirar as Divas:



 Jenniffer Lopez - 47 anos de puro glamour. Olha o tamanho da fenda no vestido! 




 Andra Day e seu olhar matador, estava parecendo um anjo




 A pequena Blue Ivy com um look homenageando o Prince! Estava demais, né?




 
 Cynthia Erivo com um cabelo que é puro close! Meu deos! A atriz é estrela de "A cor púrpura", musical na Brodway




 O terninho da cantora Jill Scott estava lindo, mas confesso que me a estampa me deu um pouco de tontura!




 A Laverne Cox mostrando que só vai se for for pra arrasar! Genthy, embalada a vácuo!! Que corpão, minhasossasinhora




 A Mya com um terninho vermelho lindo! Parece que os terninhos estão tudo mesmo. Eu que amo vermelho usaria sim!



A rapper Remy Ma arrasando no brilho! Vestido de cauda é um negócio que me seduz!





 A rainha Riri não ganhou prêmio nenhum, mas foi arrasando no look para mostrar as tatuagens! Ela arrasa sempre, né, non?




 A Ciara não está deixando nada a dever a gravidez da Beyoncé! Vestido de cauda novamente, muito brilho! Loooxo




 A Solange Knowles vai sempre pra impressionar. Alguns não gostaram. Eu achei que todo brilho pra ela é merecido.




A maravilhosa-rainha-divina-musadasmusas Taraji Henson foi com um look cheio de astros para homenagear o "Hidden Figures" Pra mim, se ela fosse com uma roupa toda furada estaria linda de qualquer jeito.







BÔNUS: BEYONCÉ!
A Bey arrasou com dois looks:

Lindeza! Durante seu show no Grammy ela veio linda de dourado. Vi muita oxunzisse aqui. Ora yê yê



Por fim, Beyoncé Knowles, que não passou pelo Red Carpet, mas arrasou no look vermelho e os dois prêmios da noite.




Entre todos os looks, o da Queen B foi meu preferido: vermelho com cauda, coladinho e com brilho! Arrebatou meu coração!
Conta pra nós: qual foi o seu look preferido na noite do Grammy 2017?