DIA DA CONSCIÊNCIA HUMANA PARA QUEM?

Eu havia prometido que não ia fazer postagem especial da consciência negra por dois motivos. O primeiro é que este blog já se dedica a questões raciais o ano todo. O segundo é porque gostaria de ler, ver e ouvir outras pessoas sobre o tema. Mas, depois de passar o dia 20 de novembro vendo tanta gente se manifestar pelo dia da consciência humana, meus dedinhos ficaram coçando... e me trouxeram até aqui.



Não pretendo fazer piada ou ironia sobre quem se dedicou a convocar o dia da "Consciência Humana" porque pretendo me dirigir a estas pessoas, especialmente aos negros e negras que ainda passam o dia 20 de novembro dizendo: SOMOS TODOS IGUAIS.

Preciso dizer que entendo quem afirma SOMOS TODOS IGUAIS. Esta afirmação, especialmente quando vem de pessoas negras, surge da urgência de se afirmar como alguém que tem tanta humanidade quanto um branco ou um asiático. Surge da necessidade de reforçar a ideia de respeito a si, mas ao outro também. Ou seja, ela é legítima. Mas, eu gostaria de dizer que apesar de não entender, eu não concordo. Por diversos motivos.

Primeiro é necessário entender a origem da data e os motivos se sua celebração. Dia 20 de novembro é a data de assassinato de um dos poucos líderes da luta negra que a história não apagou: ZUMBI DOS PALMARES. O líder do Quilombo dos Palmares foi assassinado nesse dia pelas tropas coloniais brasileiras, em 1695. Isso já seria motivo para a gente ter um feriado. 

Nunca vi ninguém questionando o Dia de Tiradentes, ou o dia de nascimento de Jesus, por exemplo. 


Mas, há uma outra questão: a instituição deste dia como feriado foi a partir da luta do movimento negro organizado. Reconhecer a importância deste dia é reconhecer a luta de Zumbi e dos movimentos negros no Brasil.
Quando você fala que é necessário dia da consciência humana e não consciência negra, você desconsidera o aspecto histórico e a luta dessas pessoas. Uma luta que foi responsável pela maioria das conquistas que tivemos até aqui. 

Ainda há algo mais profundo na celebração deste dia: ACREDITE, NÃO SOMOS TODOS IGUAIS. Isso é bom. Os diferentes devem ser tratados como diferentes. Temos necessidades diferentes. Mas, para além disso, na nossa sociedade a maioria de negros e negras não são tratados como diferentes, eles são tratados como alguém sem humanidade, ainda hoje somos tratados como não humanos e afirmar que somos todos humanos não vai fazer com que mulheres negras deixem de morrer 54% a mais que as brancas. Afirmar que somos todos iguais não vai fazer com que negros e negras sejam tratados em pé de igualdade nos departamentos de recursos humanos. Afirmar que somos todos iguais não vai fazer com que os jovens negros sejam menos mortos pela polícia no Brasil e também nos Estados Unidos.


A sociedade nos trata como diferentes. Afirmar SOMOS TODOS IGUAIS não vai fazer com que a sociedade mude como em uma mágica.

A gente precisa enfiar o dedo na ferida. Desvendar o racismo, reconhecer onde e como ele funciona. Enquanto houver racismo deve haver Dia da Consciência Negra. Precisamos falar sobre as diferenças e mostrar que elas não nos fazem piores. Precisamos sim falar sobre a questão racial para comprometer a sociedade inteira com saídas efetivas para o racismo. Não falar sobre o racismo não vai resolver. Precisamos encará-lo de frente no dia 20 de novembro e no ano inteiro.

0 comentários:

Postar um comentário